Foi no passado dia 9 de Junho que o despacho do secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, Leal da Costa, dava conta da decisão de "desactivar" até 31 de Julho os laboratórios de Viana do Castelo, Coimbra, Beja, Portalegre, o de Braga que se prevê ficar integrado no Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) do Porto e o de Oeiras no INSA de Lisboa.

Perante isto, e a par da denúncia por mais uma tentativa do Governo de encerrar serviços públicos importantes em termos de saúde pública, a Câmara Municipal de Beja manifestou indignação. "Estranhamente, quando o Governo quer transferir responsabilidades para os municípios (a designada municipalização) em muitas áreas e designadamente na saúde, ninguém procurou ouvir a opinião desta câmara municipal, ou outras porventura, sobre este caso", lê-se no comunicado publicado no site da autarquia.

Num cenário em que se prevê a mobilidade de pessoas, serviços e empresas do distrito para outra região, a autarquia assume que tudo fará para travar esta situação junto das entidades responsáveis.

O pólo de Beja realiza análises de água para consumo humano, balnear, unidades hoteleiras, pesquisa de tuberculose no distrito, análises clínicas de Hematologia, Bioquímica, Imunologia e Bacteriologia, bem como análises clínicas de urgência para o SAP do Centro de Saúde de Beja.

A tomada de posição do município encontra-se disponível em http://www.cm-beja.pt/displaynoticia.do2?numero=3712.