​A Câmara Municipal de Montemor-o-Novo aprovou o orçamento municipal para 2017, no valor aproximado de de vinte milhões de euros, assim como as grandes opções do plano. Nestes documentos está inscrita a estratégia para o desenvolvimento do município, que é apresentada no quadro de grandes constrangimentos provocados pela política de austeridade dos últimos anos no país, com consequências também para o Poder Local Democrático, que limitou fortemente a autonomia e a capacidade de resposta às populações.

De entre as medidas aprovadas, podemos encontrar: a manutenção da descentralização de competências para as Juntas de Freguesia; a defesa da reposição das 10 freguesias do município e a exigência da criação da Comunidade Regional do Alentejo, dinamizada a partir do movimento Amalentejo; a modernização da Câmara; a melhoria de instalações e equipamentos municipais, com a qualificação das instalações dos serviços municipais na Adua e o início das instalações municipais da EPAC.

Destaque também para a reabilitação do edifício do Mercado Municipal e envolvente, enquadrada no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU); a implementação da Carta Estratégica-Montemor 2025; a continuação da implementação da Agenda 21 Local; o Programa de Promoção da Economia do Concelho, que apostará na divulgação económica e promoção dos recursos e potencialidades do concelho; a dinamização do CAME, com aplicação do Plano de Comunicação; a criação de parcerias com entidades e grupos locais para a dinamização do mercado municipal; a aposta na promoção, com a divulgação de novos roteiros: enoturismo e património cultural e construído.