Pais e alunos já sabiam que os seus filhos iriam deixar de ter aula de apoio ao estudo no ano letivo 2016/2017. A indignação mantém-se e a decisão é contestada pela população.

ATLSines

Pais e alunos foram informados que os seus filhos iriam deixar de ter aula de apoio ao estudo no ano letivo 2016/2017, com o argumento de que iria abrir mais uma sala para novos alunos. A tutela decidiu, assim, descontinuar as Atividades de Tempos Livres (ATL) em Sines. A decisão é contestada pela população.

A população conta com o apoio da CDU que apresentou uma moção na Assembleia de Freguesia de Sines, exigindo a reabertura imediata da sala de estudo encerrada, com as condições materiais e humanas aos fins a que se destina e condenando a forma como a decisão foi tomada, sem ouvir os interessados locais. A moção foi aprovada por unanimidade.

Pode ler-se no comunicado da CDU: «Não é compreensível que o mesmo PS que decidiu encerrar um serviço a 2 dias do início ano letivo, tenha votado a favor da Moção na Assembleia de Freguesia só para ficar bem na fotografia junto dos pais que estavam presentes. Não é esta a maneira séria e coerente de estar na política e na defesa da população pela qual foram eleitos.».

A população luta agora pela reabertura do ATL, feito sem qualquer debate com os pais na procura de soluções alternativas, tendo obrigado a que muitas crianças ficassem sem esse acompanhamento. Para as famílias a única alternativa é a «procura de soluções no privado», obrigando a «um esforço financeiro que não está ao alcance de todos», lê-se ainda no mesmo comunicado.