Foi inaugurado no último dia 22, um memorial evocativo das «vítimas da Inquisição portuguesa e de todas as intolerâncias», na Praça do Giraldo, em Évora, no local onde foram queimadas as primeiras vítimas do Tribunal do Santo Ofício.

evora

Placa de homenagem da autoria do escultor João Sotero

 

No último dia 22 de outubro, foi inaugurado um memorial evocativo das «vítimas da Inquisição portuguesa e de todas as intolerâncias», na Praça do Giraldo, em Évora, no local onde foram queimadas as primeiras vítimas do Tribunal do Santo Ofício. O ato simbólico promovido pela Câmara Municipal de Évora teve lugar decorridos precisamente 480 anos sobre o momento em que foi lida na Sé de Évora, perante o rei D. João III, a bula papal que autorizava a instalação e funcionamento em Portugal do Tribunal do Santo Ofício.

A placa de homenagem é da autoria do escultor João Sotero. A sua inauguração insere-se num programa mais alargado, estando previstas outras iniciativas, nomeadamente, no Museu de Évora, a exposição iconográfica, Marcas da Inquisição em Évora: os acervos do Museu e da Biblioteca Pública. Aos domingos, até 4 de dezembro, decorre o ciclo de cinema vítimas de intolerância religiosa no Auditório Soror Mariana. Em cada dia é exibido um filme diferente relacionado com a temática.

No dia 16 de novembro, terá lugar no antigo Palácio da Inquisição, sede da Fundação Eugénio de Almeida, o Seminário «Inquisição: Cultura material e quotidiano (Évora e Portugal)», organizado pelo Centro de Investigação da Universidade de Évora.