O STAL viu a sua queixa reconhecida pelo Ministério Público que condenou o vereador de Coimbra com o pelouro da Qualidade de Vida, Carlos Cidade, ao pagamento de multa de €1500 por ter substituído trabalhadores em greve, entre 30 de Maio e 2 de Junho de 2014. Trata-se, segundo o acórdão, de um crime de prevaricação pelo facto de violar um direito constitucionalmente consagrado, embora o facto de não haver antecedentes criminais tenha ilibado o governante socialista de julgamento.

O Ministério Público decidiu, porém, remeter a sentença ao presidente do município Manuel Machado, eleito pelo Partido Socialista e presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), a fim de se analisarem as condições para a manutenção de competências no vereador.

Mais informação em http://goo.gl/8njdRa