Municípios da Área Metropolitana de Lisboa (AML) rejeitam unanimemente o plano de reestruturação do sector das águas aprovado pelo Governo e levam denúncia a Belém.

O pedido de audiência enviado a Cavaco Silva com carácter de urgência, e ao qual se associa a Área Metropolitana do Porto, tem como objectivo travar a publicação do diploma aprovado pelo Conselho de Ministros a 9 de Abril.

Segundo o Conselho Metropolitano de Lisboa, o processo de reestruturação provoca aumentos tarifários significativos e "assenta numa expropriação grosseira e imoral do património dos municípios da AML". Ao contrário do que afiança o Governo, os autarcas da AML reiteram que o objectivo é por as populações a pagar mais e não descartam o cenário de uma futura privatização do sector.