Desde o passado dia 1 de Julho que a Rodoviária de Lisboa conta com duas novas paragens na Quinta do Mocho. Tal resulta do trabalho implementado pela autarquia de Loures para acabar com o estigma criado desde o surgimento do bairro.

Durante mais de uma década, a Quinta do Mocho em Sacavém não usufruiu de transportes públicos, obrigando os moradores a deslocarem-se para apanharem o transporte público. Tal deveu-se ao estigma criado, praticamente desde o início da ocupação do bairro, e que levou a que a Quinta do Mocho fosse considerada uma zona perigosa onde as empresas de transportes públicos se recusavam a entrar.

Considerando o município de Loures que este estigma não corresponde à realidade tem vindo, no último ano, a trabalhar com a comunidade e um conjunto de parceiros na alteração desta imagem negativa. Deste trabalho resultou até agora, para além da Galeria de Arte Pública, uma efectiva alteração da imagem do bairro. A Quinta do Mocho passou a ser servida pela carreira 300 da Rodoviária de Lisboa, registando-se um elevado número de passageiros.